aprender a jogar taro
Esoterismo,Tarot

Como aprender Tarot sozinho fácil?

Como aprender Tarot sozinho(a) de forma fácil?

O objetivo principal deste artigo é ajudá-lo(a) a começar sua jornada na leitura das cartas de Tarot. Talvez, diferentes pessoas tenham diferentes opiniões sobre qual é a melhor forma de iniciar no estudo do Tarot.

Neste artigo, irei compartilhar o que acredito ser uma das melhores formas de se fazer isso, através de um passo a passo. O caminho apresentado aqui tem como objetivo ser eficaz, rápido e eficiente, para que você consiga, de fato, se tornar um(a) leitor(a) das cartas.

No entanto, não podemos descartar o fato de que algumas pessoas possuem mediunidade, e outras não. Algumas pessoas nasceram com o dom e possuem uma naturalidade para ler e compreender o Tarot. Elas podem sentir que as cartas simplesmente se abrem a elas. O que não impede que outros, menos contemplados, possam buscar aprender, também.

E, apesar do que possa parecer, para jogar Tarot você não precisa se vestir como uma cigana! Também não precisa de velas, nem de penduricalhos. Isso provavelmente são apenas coisas usadas por algumas alegadas tarólogas(os), talvez por questões de marketing, uma vez que isso não tem correlação com usar Tarot no dia a dia.

1º Adquira seu primeiro baralho de Tarot

Eu sugiro, para iniciantes, que iniciem com um baralho tradicional do Tarot.

Este pode ser o Baralho de Marselha, ou, mais preferencialmente, o tradicionalíssimo Baralho Universal de Rider-Waite. 

Porque este, e não outro qualquer?

Um dos motivos mais práticos sobre a sugestão do Baralho de Rider-Waite para quem quer começar, é justamente o fato de que, por ele ser amplamente utilizado e conhecido, há uma certa facilidade de se encontrar informações sobre seus significados interpretativos. Muitos livros sobre a arte do Tarot inclusive são escritos tendo como base este baralho. Então, ele acaba sendo mais intelectualmente acessível do que outras opções.

Portanto, eu sugiro que este seja o seu baralho inicial.

Há quem diga que você deva comprar o baralho com o qual você se identifica mais. No entanto, uma coisa não anula a outra. Você pode começar com o baralho de Rider-Waite tendo como objetivo primário aprender a jogar, e, posteriormente, adquirir outro baralho que você sinta que ressoa mais com você.

2º Arranje um caderno, lápis ou caneta

Neste segundo passo, estaremos treinando sua intuição.

Não vá com sede ao pote, querendo saber assim que tiver o Tarot em mãos quais são seus significados “originais ou aceitos”. Este caminho pode parecer o mais correto ou fácil, mas ele não leva em conta uma coisa importante.

Você deve desenvolver um relacionamento com as cartas, e também, uma familiaridade

Portanto, assim que você tiver seu baralho em mãos, bem como um caderno, você deverá, no seu tempo, observar, estudar e analisar cada uma das cartas, e escrever no caderno seus pensamentos sobre essas cartas. 

Não queira saber os significados aceitos das cartas. Queira saber o que aquelas cartas, imagens e simbolismos significam primeiro para você. O que cada uma das cartas te diz? O que você sente quando olha para determinada carta? Qual é a ideia que ela te transmite?

Assumindo que os simbolismos presentes no Tarot tenham sido retirados da chamada Consciência Universal, seus significados deverão estar disponíveis para todas as pessoas que consigam acessar esta chamada Consciência.

Portanto, esse segundo passo terá como objetivo fazer com que você conheça as cartas. Você vai observar cada detalhe, cor e símbolo presente na carta.

Dependendo do Tarot que você escolher para começar, isto poderá levar dias, semanas ou meses. Tudo bem. Não há pressa. O importante é você realizar esse passo de estar “cara a cara” com as cartas. Só você e elas. Sem pré julgamentos ou pré conceitos.

Anote tudo que você sentir. Essas anotações poderão se mostrar valiosas depois.

3º Arranjando livros sobre o Tarot

Só após realizar este “ritual” de reconhecimento junto às cartas, você deverá ir atrás de buscar seus significados e conceitos tradicionais. 

Nesse ponto, você já terá um certo apego ou familiaridade com as cartas.

Caso você não queira gastar muito, poderá procurar por material gratuito disponibilizado na internet.

Há locais onde se pode encontrar, por exemplo, pdfs, mesmo que seja em inglês, do livro “The pictorial key to the tarot”, escrito pelo próprio autor do Tarot Rider-Waite, entre outros livros. Este seria um livro recomendável para se ter.

Caso você só consiga em inglês, e não entenda a língua, você pode recorrer ao google tradutor.

Além deste, você também pode arranjar outros livros sobre Tarot, de preferência voltado para iniciantes, para começar a se enturmar. É bom que você leia pelo menos uns três livros, para obter variadas perspectivas e ampliar seu conhecimento sobre o tema.

4º Veja vídeos sobre o Tarot

No mundo de hoje, só não aprende algo quem não quer.

Há uma quantidade absurda de material disponível para você aprender na internet (no idioma de sua preferência, embora no idioma inglês você possa encontrar mais coisas).

Busque ver alguns vídeos com explicações e interpretações acerca do Tarot. Aprender com quem já conhece o assunto é uma atitude inteligente.

Tudo isso servirá para alimentar seu poço de conhecimento acerca do Tarot.

5º Se juntando a comunidade do Tarot

Não fará mal se você buscar fóruns, grupos do facebook, whatsapp ou telegram para pessoas que também estudam ou praticam Tarot. 

A troca de informações é válida, e você sempre pode aprender coisas novas com as pessoas que encontrar por aí. Além de observar a forma como elas agem e interagem com as cartas.

6º Começando a praticar

Após se munir de certo aparato teórico acerca do Tarot, finalmente é hora de colocar a mão na massa.

No entanto, não espere que logo no seu primeiro jogo de Tarot, você será capaz de descobrir e entender o significado total de todas as cartas que aparecerem. Não é assim que funciona.

É uma questão de aprender com a experiência.

Mentalize uma pergunta.

Para começar, não fique trocando de perguntas. Faça uma pergunta direta.

Repita-a mentalmente ou verbalmente, enquanto se concentra na pergunta, ao mesmo tempo que embaralha o Tarot em suas mãos.

Comece fazendo perguntas sobre você mesmo(a), tire fotos das cartas que saíram (uma dica é tirar 3 cartas, a primeira representando o passado, a segunda o presente, e a última, o futuro ou o resultado). E então, é hora de estudar as cartas que apareceram para você.

Nesse momento, é hora de buscar aquele caderno no qual você anotou seus pensamentos sobre todas as cartas, lembra?

Consulte o que você mesmo teria a dizer sobre as cartas.

Depois, busque em outras fontes – como os livros de Tarot que você adquiriu, ou fóruns virtuais – sobre o significado daquelas cartas.

Compare. Analise. Aprenda.

7º Aprendendo com a experiência e associação

Aos poucos, uma ou outra carta vai começando a ter seu significado transformado em algo familiar para você. Pois você tirou ela uma ou duas vezes, depois você analisou os resultados que aconteceram ou acontecem em sua realidade, e os conectou as cartas. Então, você percebeu o que as cartas queriam te dizer.

Na próxima vez que você retirar aquela mesma carta, você poderá lembrar dela. Lembrar do que ela queria te dizer da outra vez. Seu significado poderá naturalmente brotar na sua mente, pois aquela carta se torna como uma velha conhecida sua.

Talvez uma velha amiga, ou uma velha inimiga. Talvez alguém trazendo boas novas, ou alguém trazendo agouros.

O importante é você trabalhar a associação das cartas com os acontecimentos sobre os quais elas te informaram.

Dicas de perguntas para aprender sobre Tarot

Perguntar sobre si mesmo pode ser uma boa ideia no começo. 

Por exemplo, pergunte ao tarot sobre seu próprio estado emocional, ou sobre “como você está se sentindo naquele momento”.

Veja as cartas que saíram. Estude-as. Verifique se elas se encaixam na sua realidade, e como elas se encaixam.

Além disso, você também pode perguntar sobre “como será sua semana”, seja no trabalho, no amor, em família, ou alguma viagem que você vai fazer.

Tire fotos das cartas. Analise-as. Espere.

Quando a semana acabar, veja de novo o que as cartas do Tarot haviam te dito sobre como seria a sua semana. 

Compare com a realidade.

Aprenda. 

O que as cartas te disseram realmente aconteceu? De que forma o que foi exposto na carta, se desenvolveu no seu mundo real?

É importante sempre ter essas perguntas em mente.

Afinal, você está aprendendo sobre as cartas. E esse aprendizado por levar anos e até mesmo nunca terminar. Você sempre pode descobrir novos significados sobre determinada carta. Um significado que sempre esteve ali, mas que só agora ficou claro para você.

O importante é ter paciência. 

Você poderá aprender Tarot, mas para isso vai precisar de:

  • Tempo, Experiência, Estudo e Análise 

É claro que quem possuir mediunidade poderá sentir o manuseio do Tarot como algo natural mais facilmente. Mas mesmo quem possui a mediunidade (e você pode perguntar a sensitivos se você tem ou não), deverá se esforçar para se tornar um bom leitor de tarot.

Eu diria que vai aprender Tarot quem realmente quer aprender Tarot. Pois, não tem jeito. Só estando genuinamente interessado para passar pela jornada de estudo, análise e tempo que  leva para ir gradualmente desenvolvendo seu conhecimento e habilidade. Quanto mais você quer aprender, mais motivação você terá, e, consequentemente, você não sofrerá para aprender, e eventualmente entenderá que isso é uma jornada que leva tempo, experiência, estudo e análise.

No geral, é uma jornada de estudo solitária. Não espere que você vai pagar um curso, ou um ler um livro, e outra pessoa vai dizer absolutamente tudo para você, e você irá compreender tudo na hora e instantaneamente.

Se seu desejo, porém, for apenas uma pequena brasa, talvez você desista antes mesmo de tentar. Pois não se compra um Tarot num dia, e já no dia seguinte você se torna um especialista no assunto.

Tudo dependerá principalmente do quanto você quer aprender Tarot.

Leia Também:
Entre duas Eras: vivemos na Transição da Era de Peixes para a Era de Aquário
Ano Novo Egípcio: 11 de Setembro, quando o Sol nasceu da Virgem

Você também pode gostar...